Archive for abril \19\UTC 2009

Fortaleza Abr.2009

abril 19, 2009

Como toda aventura é pouca, bastou o feriado mais próximo chegar pra eu botar o pé no mundo de novo. Dessa vez um destino um pouco (muito) mais longe: Fortaleza. De ônibus, 12 horas de viagem.

Na quinta (09/04), saí uma hora mais cedo do trabalho, peguei o metrô já perto das 18h. Muita gente voltando pra casa depois do trabalho e também muita gente indo pra rodoviária. Não pude deixar de escutar a conversa de 2 pedreiros que estavam perto de mim. Falavam de mulheres e das empregadas do prédio em que trabalhavam. Hilário! Não consegui não rir com eles… Foi ótimo, consegui relaxar um pouco, tava meio nervosa por viajar durante a noite.

O ônibus saiu às 19h30. Já perto de João Pessoa, às 21h, paramos pra que passageiros de um ônibus da Bonfim que estava quebrado na beira da estrada, subissem. Caraca!! Já pensou se esse ônibus quebra lá no meio das brenha??? Foi isso que eu pensei… Meia hora depois, uma parada na entrada de Johnny People pro pessoal da Bonfim descer. Sorte o destino deles ser perto.

Tentei dormir, mas não encontrava jeito na poltrona, até o ar-condicionado mesmo fechado em cima de mim, incomodava. Na próxima vou de meia e luvas, frio arretado! Só consegui dar uns cochilos quando deitei ocupando as duas poltronas. De 1h30 da manhã, uma parada em Lajes-RN pra trocar de motorista. Pouco tempo depois uma passada rápida na rodoviária de Assu (ou seria Açu? Acho que nem lá mesmo se sabe ao certo. Vi placas escritas dos dois jeitos).

Mais um cochilo e de 5h45 outra parada em Aracati-CE. A 8km dali fica Canoa Quebrada, queria muito ir, mas fica pra próxima… Pouco antes das 8h, entramos em Fortaleza. Pelo caminho que o ônibus foi, a primeira impressão foi de que a cidade não é muito bonita não… Essa área aí lembra muito a BR-101 perto da UFPE.

Paolo foi me buscar na rodoviária. Lá na frente parou um carro antigo (como eu sou muito entendida de marca de carro, eu não sei que carro era aquele) muito grande, parecia uma limosine. Lindo! Eu quase que pedia carona, mas Paolo me convenceu a ir com ele de fusquinha mesmo. rsrsrs

Fortaleza é muito grande, acho que bem maior que Recife. Indo mais pro centro a paisagem foi melhorando, apesar de ser uma cidade com muitos edifícios. Acho que o povo lá gosta muito de prédios de vidro, vi alguns pela cidade.

Ficamos hospedados na praia do futuro, bem pertinho da beira-mar na pousada Veleiro. Depois de um banho, fomos direto pra praia. Achei a área a melhor de Fortaleza. Não é emparedada por prédios enormes e a praia é a única própria pra banho. A água é bem azulzinha e quando a maré tá baixa, se formam várias piscinas naturais. Até o céu eu achei diferente lá, as nuvens, sei lá… É lindo!

Praia do Futuro

Praia do Futuro

Praia do Futuro

Praia do Futuro

Almoçamos no Croco beach, muito turístico, mas a comida era muito boa! Depois, voltando na pousada, eu apaguei. A viagem foi muito cansativa. Tentei levantar antes, mas só consegui acordar perto de 18h já. De noite passamos no Dragão do Mar, Ponte dos Ingleses na praia de Iracema e na Av. Beira-mar, que parece muito com a Av. Boa Viagem daqui, onde tem uma feirinha de artesanato. Em plena sexta-feira a gente não achou nada além de show de humor e boates. No Dragão do Mar (e em quase todos os restaurantes da orla de Iracema e Beira-mar) só showzinho de voz e violão.(Que eu particurlarmente acho um tédio!)

Patativa do Assaré - Dragão do Mar

No sábado, tive que ir na rodoviária pra comprar minha passagem de volta. Por causa do feriadão, as passagens do único ônibus que sai de lá durante o dia direto pra Recife já tinham acabado. O jeito foi comprar passagem pra Natal. Na volta pra praia do futuro, passamos no Parque do Cocó.

Achei incrível como os meninos pedintes são organizados. Vi alguns, em pontos diferentes, segurando plaquinhas com dizeres do tipo “tenho fome, me ajude”. Assim não precisam nem se dar o trabalho de abrir a boca pra falar alguma coisa. Outra coisa que me deixou surpresa foi o fato de só as pessoas botarem o pé na faixa de pedestres pra atravessar, que os carros todos param. =O Por aqui, se não correr, eles passam por cima! rsrsrs

Passamos a tarde toda na beira da praia sentindo a maresia. À noite fomos dar uma volta na parte mais antiga e monumental de Fortaleza. A gente até se perdeu por lá… Algumas áreas lembram o Recife Antigo. O mercado central é enorme, queria ter entrado… Também tem uma catedral enorme, que de noite tem uma iluminação linda! Depois fomos no Dragão do Mar e choveu bastante lá.

No domingo, acordei de 4h da manhã pra voltar pra casa. O ônibus sairia de 5h, mas ainda atrasou uns 10 minutos. Voltando de dia pude ver a paisagem do caminho. O tempo tava bem nublado, mas a área que achei mais bonita foi em Lajes. As montanhas, as pedras e um rio, que no momento tava cheio de gente. Alguns adultos lavando roupa e muitas crianças brincando.

Cheguei em Natal às 14h15, fui direto comprar uma passagem pra Recife, mas só tinha pro ônibus que sairia de 18h. Comprei uma pra João Pessoa que saiu de 14h30. A previsão era de que chegaria na rodoviária às 17h30, mas o trânsito já perto de João Pessoa estava simplesmente parado. E com 2 horas de atraso, cheguei lá de 19h20.

Por sorte ouvi o motorista falar pra um cara que estava vindo pra Recife, que ele esperasse ali mesmo na área de desembarque porque ele iria colocar ele no primeiro ônibus. Por causa do trânsito parado, os ônibus estavam ainda todos presos na estrada. Só tinha um lá, que estava indo pra Salvador. O motorista disse que estava lotado, mas se a gente não tivesse problema em vir em pé, ele trazia a gente. Não sei porque nesse momento me lembrei do Rio doce/CDU… Depois que todos os passageiros embarcaram a gente pôde subir, e eis que tinha 2 lugares livres e a gente veio sentado! Se eu não tivesse ouvido o motorista, teria que entrar na rodoviária, entrar na fila pra comprar uma passagem (a rodoviária tava lotada e o próximo ônibus pra Recife também) e esperar o ônibus chegar lá. Acho que só chegaria em casa na segunda de madrugada!

Saindo de 19h40, cheguei em Abreu e Lima às 21h40. Eu já tava morta por ter passado o dia inteiro em ônibus, quando desço, é debaixo de um toró inacreditável! Desci na frente do terminal de Abreu e Lima, mas a pista tava tão alagada que não dava pra atravessar sem ser por dentro d’água. Quer saber? Foi aventura demais pra um dia só! Continuei abrigada na frente de uma loja e liguei pra casa pra que fossem me buscar. hehehe Finalmente cheguei em casa às 22h20.

—-

RECIFE – FORTALEZA: a linha é feita pela Guanabara e o preço varia de R$103 a R$160, depende do horário e do tipo de ônibus.

FORTALEZA – NATAL: a linha é feita pela Nordeste, o preço também varia de acordo com o horário. Pelo ônibus das 5h paguei R$69,00. O das 9h custava R$74,00.

NATAL – JOÃO PESSOA: a Nordeste também faz essa linha, mas viajei pela Progresso pagando R$19,00.

JOÃO PESSOA – RECIFE: pela Progresso paguei R$20,00. A linha também é feita pela Bonfim.

RN Mar.2009

abril 14, 2009

Um fusca, 2 malucos e o mundo… Saímos de Olinda as 4h da manhã. Já perto de João Pessoa,o fusca deu o primeiro problema. A luz da bateria acendeu e quando o eletricista de um posto de beira de estrada foi medir a voltagem, o aparelho ficou doido. Diagnóstico: só andando pra saber o que é.

Já no Rio Grande do Norte, acho que umas 9h, paramos em São José de Mipibu pra tomar o café da manhã. A cidade é bem bonitinha e no centro da cidade há o ‘centro turístico cultural’. Nesse espaço tem apenas 2 boxes onde funcionam lanchonetes, apenas 1 estava aberta. Aí você se pergunta ‘o que tem de turístico e cultural nesse centro?’. Eu respondo: o suco de acerola! O mais gostoso que eu já tomei na minha vida!

Às 11h, chegamos em Maracajaú, que fica bem depois de Natal, para almoçar. Os nativos mostraram a área que David Beckham comprou à beira mar pra construir um hotel de luxo. Vai estragar o lugar! Maracajaú e as praias próximas são muito lindas.

Subindo, em direção a Touros, pegamos uma entrada que segundo a sinalização iria pra Rio do Fogo. Mas acabamos entrando numa área onde se produz energia eólica… Já perto da cidade, o fusca deu problema de novo. Em Rio do Fogo, um mecânico muito do entendido deixou o fusquinha zero bala! No meio da tarde uma parada em Perobas pra um mergulho no mar. Lugar muito simples e maravilhoso! Um dos nativos era um pastor alemão muito simpático que mora num restaurante na beira da praia.

Perobas

Finalmente chegando em Touros, que era inicialmente o destino final do primeiro dia, não gostamos muito de lá. Pra passar a noite, resolvemos subir mais um pouco até São Miguel do Gostoso. Chegamos lá já era quase 18h. Pra achar uma pousada foi difícil, as que fomos estavam lotadas, com reservas para um grupo de Garanhuns e Caruaru que estava fazendo trilha, rali ou sei lá o que, por lá… Acabamos ficando na pousada Lagoa Mar, de uns portugueses. Muito bonita mas também muito carinha…

No video um pouco da paisagem do primeiro dia, o caminho errado e o fusquinha chegando a 120km/h!

Pela manhã, depois de muitas discordâncias de opinião de algumas pessoas sobre a estrada de barro que vai direto a Parazinho, resolvemos encarar. A outra opção seria voltar a João Câmara, muitos quilômetros e horas a mais de viagem. Fizemos muito bem, o caminho é inacreditável!! Por toda a estrada há milhares de borboletas, nunca vi tanta borboleta junta! E quando o carro chegava perto, elas voavam sobre a gente. Alucinante! No meio do caminho também alguns povoados. O vídeo na parte das borboletas tá meio louco, acho que fiquei tão abestalhada que não sabia nem como fazer. rsrs

Passamos por Parazinho e fomos almoçar em Pedra Grande. Pra ir a Galinhos, passamos por São Bento do Norte e em Caiçara poderiamos ir direto pela praia não fosse a maré enchendo… De novo as mesmas opções: estrada de barro ou voltar por João Câmara pra pegar a BR. Já tinhamos passado por uma, encaramos a segunda! Percorremos uns 15km em estrada de areia fofa no meio do nada, raras fazendas no meio do caminho, até nos depararmos com um atoleiro. Paramos pra analisar… Paolo disse que dava pra passar, eu atravessei a pé pra ter menos peso no carro. E quase que ele passava, quase mesmo! Já perto da margem o fusca atolou. A gente no meio do nada, trovões anunciando uma forte chuva chegando, e o jeito foi voltar todo o caminho a pé. Mas como toda desgraça não vem sozinha… fomos perseguidos por mutucas (moscas gigantes monstruosas mutantes que sugam o sangue do gado e qualquer ser que esteja perdido no mato e suando muito!), não adiantava correr, elas vinham atrás como um enxame de abelhas. De enlouquecer qualquer um! E assim ficaram minhas pernas…

O ataque das mutucas!

Andamos uns 3km até a fazenda mais próxima. A mulher do caseiro estava sozinha com os filhos, meio desconfiada deixou a gente entrar. Ligou pra um conhecido em São Bento que tinha um buggy pra ir buscar a gente e desatolar o fusca. Seu marido chegou logo depois, também ficou meio desconfiado quando viu a gente, mas depois conversou foi muito com Paolo. Enquanto esperavamos o ‘resgate’, Emanoel, filho de 2 anos do casal, contou suas estórias e se divertiu com minha câmera.

Emanoel

Um tempo depois chegou o RESGATE! O cara do buggy trouxe com ele mais 3 bêbados pra ajudar. kkkkkkkk Eles me olharam meio com cara de “isso é coisa de homem” e não me deixaram ir pra ver o desatolamento do fusca. Pelo que soube, eu perdi o melhor e mais engraçado de toda a estória. Imagina 4 bêbados tentando desatolar o carro. Devia ter ido pra filmar a cena… Pelo menos o atolamento ficou registrado!

Depois de desatolar, o fusquinha voltou a funcionar. Já era umas 5h da tarde, voltamos pra Caiçara pra procurar uma pousada. Passamos a noite na Pousada do Farol. Na beira da praia do farol, muito aconchegante e com precinho bom.

No domingo (29/03) de manhã ainda tivemos tempo pra uma voltinha na praia. Muito tranquila! Mas eu tinha que arrumar um jeito de voltar pra casa…

Praia do Farol

O fusca inventou mais uma estória e não queria funcionar, até a buzina disparou sozinha. Teve que ser puxado pra poder ligar, e depois disso não podia mais desligar antes que a gente chegasse em João Câmara! rsrsrs Chegamos lá já era quase meio-dia, o ônibus pra Natal sairia de 12h15. Nos despedimos rapidinho. Eu tinha que voltar pra casa e ele ia continuar a viagem até Fortaleza, mas não sem antes consertar o carro!

João Câmara - Natal

Cheguei em Natal pouco depois das 2h da tarde. O ônibus pra Recife saiu de 15h. Pedi pra descer em Abreu e Lima e peguei outro ônibus pra casa. Cheguei de 20h em ponto.

—-

JOÃO CÂMARA – NATAL: a passagem custa R$9,00. A linha é feita pela Expresso Cabral. Acho que não tem muitos ônibus por dia, não sei ao certo…

NATAL – RECIFE: linha feita pela Progresso, custa R$55,00.

Pipa Mar.2009

abril 4, 2009

Data magna de Pernambuco, dia 06 de Março, sexta-feira. Feriadão que ninguém tava esperando logo depois do carnaval. Na quinta, um pessoal foi de carona pra Pipa-RN e eu trabalhando… Só tive a confirmação de que não trabalharia na sexta, já quase no fim do expediente na quinta. Sexta de 7h da manhã ainda tive minha ultima aula prática da auto escola, acho que não dirigi muito bem, tava meio nervosa… rsrsrs Afinal, seria a primeira vez que viajaria sozinha.

Chegando na estação do metrô, uma mulher que desceu do mesmo ônibus que eu começou a puxar conversa. Por coincidência, ela também estava indo pra rodoviária. Incrível como rapidamente arrumei companhia e o frio na barriga passou como mágica. Conversamos durante todo o percurso até lá. Ela também ia viajar sozinha, só que pra Maceió, onde mora. Chegando no TIP, cada uma seguiu seu rumo.

O ônibus sairia de 11h, passava pouco das 10h ainda. Como sabia que a viagem ia demorar, almoçei num restaurante lá mesmo. Quando entrei no ônibus tive uma sensação muito boa, até ver que o cara sentado na poltrona em frente a minha tinha baixado ela totalmente para dormir. Incrível como tem gente folgada nesse mundo! Pedi pra ele levantar, afinal eu queria meu lugarzinho na janela. Meio com cara feia porque atrapalhei o início do sono dele, ele levantou o encosto me dando espaço pra sentar.

O percurso foi super tranquilo, admirando a paisagem, ouvindo música, cochilando… Quando entramos no Rio Grande do Norte, fui pedir ao motorista para descer em Goianinha. Ele me disse onde poderia pegar o ônibus voltando a Recife sem precisar ir a Natal. E, claro, não deixou de me fazer perguntas por estar viajando sozinha. rsrsrs

De Goianinha até Pipa o transporte me pareceu ser bem organizado. As vans são todas cadastradas, muitos passageiros já são conhecidos dos motoristas e cobradores e eles são muito prestativos. Pedi pra ficar na praça dos pescadores e desci em direção à praia, era pouco mais de 16h. Passando pela igrejinha e entrando à direita encontrei o pessoal num restaurante almoçando. Ficamos lá até quase anoitecer.

Nos hospedamos na pousada Vera: my house. Pequena, mas muito bonitinha e também barata. De noite, até que eu queria sair pra ver a agitação noturna de Pipa, mas o sono e o cansaço foram mais fortes que eu. Como diz lá na minha terra: hoje, só amanhã!

Sábado de manhã cedo acordamos pra tomar café e ir na Baía do Golfinhos. Há dias em que eles vem pra perto da costa e é possível nadar com eles! Mas nesse dia não tivemos sorte, eles não apareceram… Mas a praia é linda, água super limpinha e calma!

Baía dos Golfinhos

De noite, aproveitamos a cozinha liberada da pousada pra fazer um jantarzinho meio maluco. Lagostinhas, legumes, macarrão e caipirinha. Depois de descansar um pouco, fomos pra night. Há uma rua com alguns bares e uma galeria, que rola um sambinha legal pra turista (a maioria do público é de estrangeiros). Nos bares, música eletrônica e só. Por ser um lugar pequeno, não tem opções muito diversificadas de balada. No bar cachorro da mão quebrada, não ia mais rolar o reaggae que tinham indicado pra gente. Já umas 4 da manhã e a unica opção era a boate que parece uma oca, não lembro o nome. Parece que era a ultima noite ali, a boate ia mudar de endereço. Como os meninos não quiseram pagar pra ficar só meia hora na boate, fomos à praia ver o sol nascer.

Dormimos pouco no domingo de manhã e acordamos cedo pra ir à praia do amor. Fomos pela costa, e como a maré estava enchendo, em alguns trechos foi difícil passar. Chegando lá, entendi o porquê do nome: quase todo mundo lá está com a sua metade da laranja. Há também alguns surfistas, as ondas lá são boas pro surf.

Voltamos pra pousada para almoçar e pra pegar minha mochila. Depois do almoço me despedi do pessoal e peguei minha carona de volta. Pipa é um paraíso, um lugar mágico!! Espero que continue assim por muito tempo, quero voltar lá ainda muitas vezes.

_ _ _ _
OLINDA – RECIFE – PIPA: Pra chegar na rodoviária peguei o ônibus RIO DOCE/PRINCESA ISABEL, pagando tarifa “B”. Desci na frente da estação central do metrô. Pagando R$1,40 (acho que era isso), peguei o metrô que vai pra Camaragibe. Desci na estação Rodoviária. No guichê da Progresso, comprei a passagem RECIFE/NATAL que custa R$55,00. Como Pipa fica antes de Natal, chegando no Rio Grande do Norte, pedi pra descer na cidade de Goianinha. Atrás da igreja matriz de Goianinha, peguei uma van direto pra Pipa, pagando R$3,00.

Itamaracá Fev.2009

abril 3, 2009

Passado o carnaval, resolvi pegar uma praia mais uma vez durante o fim de semana… É incrível como toda vez que eu digo que vou à praia, chove no dia anterior ao passeio! Só que dessa vez choveu no dia exato. Mas como eu sou teimosa… rsrsrs Mochila nas costas e todo aquele percurso de novo. Lá na ilha o tempo estava bem melhor, sol forte e céu azul, bem diferente de Olinda.

Foi difícil encontrar uma pousada. Andamos um tempão debaixo de sol forte. Perto da praia do forte só tem 2 pousadas, parecem ser muito boas, mas são também muito caras! Acabamos voltando pela estrada de acesso e mais ou menos no meio do caminho entre o forte e o trevo, nos hospedamos na pousada ciranda. Pequena e aconchegante, mais barata que as outras duas, mas ainda assim um pouco cara.

Acho que por causa da chuva, o mar perto do forte estava mais turvo que na visita anterior. Andando até a praia de são paulo, perto da pousada em que ficamos, a água parecia ficar cada vez pior. No meio do caminho, já no fim da tarde, começou a chover. E foi chuva durante a noite toda, perfeito pra dormir bem.

No domingo, o sol apareceu forte. Só uma nuvem carregada esfriou um pouco, mas logo o tempo abriu de novo. As ruas que dão acesso à praia estavam todas alagadas. Em alguns trechos quase não dava pra passar sem pôr o pé na lama. Chegando na praia, sol, caminhadas e fotos, muitas fotos!

fotos axel

No início da tarde, arrumamos as coisas pra voltar a Olinda. E esperamos “o” ônibus…

_ _ _ _
DICA: Uma passada em Vila Velha vale muito a pena. Lugar lindo e peculiar. Tem uma vista maravilhosa.

Itamaracá Jan.2009

abril 2, 2009

.

adoro fotos de pés

Fui num sábado de Janeiro. Pegando o primeiro ônibus no Carmo em Olinda às 11h, chegamos às 13h. Direto pra praia!! Solzão de verão maravilhoso!! Na praia do Forte dá pra tomar banho tranquilo, mas é melhor ir um pouco mais ao norte porque tem menos gente e não tem barcos circulando para ir na Coroa do Avião*.


Caminhando durante a tarde até outras praias mais ao norte do Forte Orange, dá pra ver uma galera praticando kite surf. Não achei a água muito limpa por lá, mas o vento parece ser bom pro esporte.

Pra quem nunca viu, vale a pena uma visitinha no Projeto Peixe-Boi. A entrada custa R$3,00. Lá é possível ver um filme sobre a espécie num cinema em formato de peixe-boi gigante, fazer umas compras na lojinha para ajudar o projeto e, claro, ver os bichinhos em seus aquários.

itamaraca_jan2009-0142

A volta no domingo, depois de um churrasquinho delícia, foi complicada. Como não poderia deixar de ser em pleno verão, os ônibus que passavam (quando passavam) estavam lotados! O jeito foi pegar uma lotação de Itamaracá até Paulista (R$3,00) e de lá um ônibus pra Olinda. Descendo na PE-15, ainda tivemos que atravessar a cidade alta, que já estava fervendo com as prévias de carnaval. Apesar do cansaço, ainda deu pra dançar um pouco ao som do frevo. E por fim, o último ônibus pra chegar em casa.
_ _ _ _ _ _ _ _
*Coroa do Avião: pra fazer a travessia de barco, R$7,00 ida e volta por pessoa. Fui em outra oportunidade, lá é tranquilo, comi e bebi muito bem, tinha uma boa companhia… mas… indo pro outro lado da ilhota, em direção a Pau Amarelo, não tem ninguém por lá. E o motivo era óbvio: a água estava imunda! Parecia que toda a sujeira de Recife e Olinda tinha sido levada pelo vento até lá. Triste! Mas isso não estraga o passeio, é só você ficar do lado certo. rsrsrs

OLINDA – ITAMARACÁ: para chegar à ilha de ônibus é preciso pegar 3 linhas diferentes, mas paga-se apenas 1 passagem, pois as linhas estão no sistema de integração. Em Olinda, na avenida Getúlio Vargas a partir do Hospital Prontolinda,  peguei o ônibus ABREU E LIMA/OLINDA pagando tarifa “B”. Descendo no terminal de Abreu e Lima, peguei o ônibus ABREU E LIMA/IGARASSU. No terminal de Igarassu há 2 ônibus para Itamaracá, mas o que vai ao Forte Orange demora muito pra sair. Quase uma lenda! Peguei o IGARASSU/ITAMARACÁ e pedi pra descer no trevo. De lá pra chegar no Forte, ainda é preciso pegar uma van, apenas R$1,00.

Vagas lembranças…

abril 1, 2009

Resolvi escrever! Depois que comecei a ganhar o mundo, acho legal compartilhar as aventuras para, quem sabe, talvez ajudar alguém, matar a curiosidade ou só pra eu mesma não esquecer nada das minhas aventuras. Fiz algumas viagens nos ultimos anos, pena não ter mais tanta coisa na memória pra contar…

Logo no primeiro ano da faculdade, fui com a turma a Natal-RN para um congresso. Foi ótimo, apesar do pouco tempo! Alugamos um carro e fomos em Genipabu. Tinhamos a dica de que no caminho havia uma entrada para uma cachoeira. Quando chegamos, a tal cachoeira parecia mais uma bica! hahaha Mas era legal lá, a força da água fazia uma massagem boa nas costas. Depois de tanto passeio, uma bronca do coordenador do curso por praticamente não ter marcado presença no tal congresso que nada tinha a ver com nossa área. Mas quem se importa?! hahaha Valeu a pena. Bota uma tuia de designers numa duna pra ver se presta! Vídeo hilário!

Em novembro de 2008, fui pra Porto de Galinhas de carona com pippi. Passeio maravilhoso de relaxante! Munidos de máscara e tubo (ah, e pippi armado com seu arpão sedento por sangue de peixinhos inocentes!), ficamos quase 4 horas direto dentro do mar. Mergulhar naquelas águas claras entre as pedras é maravilhoso, nem percebemos o tempo passar. Mas como eu não sou uma mergulhadora assídua (essa foi a primeira vez), estava cansada, não fiz alongamento e talvez estivesse precisando de um pouco de potássio; tive cãimbra numa perna. E depois na outra. Mas nada que uma parada em cima das pedras não melhorasse um pouco a situação. Ah, e também nada como alguém disposto pra rebocar você quando preciso. rsrsrs No final, pippi ainda conseguiu pegar um peixinho e o almoço dele tava garantido! rsrsrs

No fim do ano passado fui em Praia Bela na Paraíba. Lugar lindo e tranquilo. Rio desaguando no mar. Caminhando em direção ao sul, é totalmente deserto. Depois de andar quase uns 20 minutos, há no meio do nada, entre o mar e o rio, duas ou três casinhas de taipa. Provavelmente pescadores vivendo isolados do mundo. Como registro apenas um pequeno vídeo feito com o celular.